Coritiba voltou a vencer e respirou mais aliviado na Segundona. Na gangorra em que vive na Série B do Campeonato Brasileiro, bastante pressionado e sem fazer uma grande atuação, o Coxa venceu o Guarani por 1×0, na noite desta terça-feira (8), no estádio Couto Pereira, chegou aos 40 pontos e subiu para a quinta posição na classificação. O Verdão, que tem uma partida a menos que seus concorrentes, pode voltar ao G4 no duelo deste sábado (12), diante do Criciúma, às 16h30, novamente no Alto da Glória.

Com Giovanni e Rodrigão no banco de reservas, o Coritiba entrou em campo diferente. Depois da derrota no Paratiba e da polêmica envolvendo alguns jogadores vistos em um show sertanejo após o jogo no último sábado, a mudança de atitude foi nítida no começo da partida contra o Guarani. O time alviverde procurou o gol desde o começo para espantar de vez a crise.

Patrick Brey e Juan Alano tentaram pela esquerda. Foto: Albari Rosa

Só que a pressão vinha do lado de fora, das arquibancadas e o time, em campo estava nitidamente nervoso. Na primeira tentativa, aos cinco minutos, Robson foi lançado, serviu Nathan, que substituiu Rodrigão, mas o atacante errou o alvo. Na sequência, após cobrança de falta, Sabino cabeceou com perigo.

Mesmo inseguro, o Coritiba conseguia ter o domínio do jogo. Nathan conseguia dar mobilidade ao setor ofensivo ao time alviverde, confundia a defesa do Bugre e conseguia criar boas chances. Aos 19, Rafinha cruzou e o camisa 11, na área, cabeceou com perigo. O gol do Coxa não demorou para sair. Três minutos mais tarde, depois da cobrança de escanteio de Juan Alano, Robson subiu livre, marcou de cabeça e, por ser um dos jogadores envolvidos na noitada após o clássico, desabafou colocando a mão no ouvido na comemoração do gol.

No segundo tempo, o Coritiba perdeu um pouco de intensidade, muito também pela postura mais ofensiva do Guarani. Só que o Bugre, com problemas técnicos visíveis, apenas rondava a área do Coxa e conseguia chegar com perigo somente em bolas paradas. Com mais espaços para contra-atacar, o Verdão quase ampliou aos 13 minutos. Robson fez grande jogada, serviu Rafinha, mas o chute do camisa 7 saiu por pouco.

Robson tenta criar jogada para o Coritiba contra o Guarani. Foto: Albari Rosa

Na melhor chance do Guarani, em cobrança de falta, Arthur Rezende obrigou o goleiro Alex Muralha a fazer boa defesa. Já com o atacante Rodrigão em campo na vaga de Nathan, o Coritiba perdeu um pouco de mobilidade no ataque, mas ganhou em presença de área. O time alviverde, atuando de forma consistente na defesa, não conseguia aproveitar os erros do Bugre. Em uma dessas saídas erradas da equipe de Campinas, Thiago Lopes perdeu na área e, no rebote, Matheus Sales arriscou e Kléver defendeu.

O Guarani foi para o tudo ou nada. O técnico Thiago Carpini recheou o time de atacantes. Assim, o Bugre aumentou a pressão nos minutos finais. O Coritiba, por sua vez, já não tinha mais Rafinha, desgastado, que deu lugar para o volante Luiz Henrique, para puxar os contra-ataques. O time de Campinas até tentava pressionar, mas encontrava a defesa alviverde bem postada.

Com cada vez mais espaços, o Coritiba quase definiu de vez a vitória aos 37 minutos. Da entrada da área, Rodrigão chutou no canto e Kléver fez grande defesa. O Guarani, já na base do desespero, foi com tudo em busca do empate. Mas o Bugre não teve força para furar a retranca do Coxa, que garantiu os três pontos importantes no Couto Pereira.

Ficha técnica

SÉRIE B
2º Turno – 27ª Rodada

CORITIBA 1×0 GUARANI

Coritiba
Alex Muralha; Diogo Mateus, Romércio, Sabino e Patrick Brey; Matheus Sales, Juan Alano (Serginho) e Thiago Lopes; Rafinha (Luiz Henrique), Robson e Nathan (Rodrigão).
Técnico: Jorginho

Guarani
Klever; Lenon, Luiz Gustavo, Diego Giaretta e Thallyson; Deivid (Nando), Felipe Guedes, Arthur Rezende e Filipe Cirne (Vitor Feijão); Davó e Michel Douglas (Felipe Amorim).
Técnico: Thiago Carpini

Local: Couto Pereira
Árbitro: Adriano Barros Carneiro (CE)
Assistentes: Nailton Junior de Sousa Oliveira (CE) e Eleutério Felipe Marques Junior (CE)
Gol: Robson 22 do 1º
Cartões amarelos: Diogo Mateus, Rafinha (CFC); Arthur Rezende (GUA)
Renda: R$ 89.540,10
Público pagante: 7.519
Público total: 7.945